blogjucelioalmeida@gmail.com

Após morte de homem negro dentro do Carrefour protesto é realizado em frente a filial de João Pessoa

Após morte de homem negro dentro do Carrefour protesto é realizado em frente a filial de João Pessoa
Protesto fechou uma faixas da rua em frente ao supermercado — Foto: Marco Aurélio Paz Tella

Um protesto foi realizado no início da noite desta sexta-feira (20), em João Pessoa, em frente à unidade do Carrefour dos Bancários. A mobilização foi organizada pelas redes sociais depois que um homem negro foi assassinado dentro de um supermercado da rede em Porto Alegre, na noite de quinta-feira (19).

Atos parecidos foram registrados em diversas outras cidades brasileiras. Na mobilização pessoense, muitas pessoas empunhavam cartazes de repúdio à rede. Outras, sujaram as mãos de tinta vermelha e mancharam a faixa de pedestre localizada em frente à loja, simbolizando o sangue derramado.

Houve também discursos em que se pediam o fim da violência e do racismo. Além de cânticos em homenagem às vidas negras perdidas no país. Os presentes pediam boicote ao Carrefour e chamavam a empresa de “genocida”.

Mãos com tinta vermelha simbolizam o sangue do homem negro assassinado — Foto: Marco Aurélio Paz Tella

Um dos discursos foi o da professor Francy Silva, da UFPB.

“É um discurso de raiva, de indignação, de provocação. Se a gente não faz o conflito, as pessoas vão continuar confortáveis achando que está tudo normal. E não está normal. Não é normal eu ser uma das únicas professoras negras da Universidade Federal da Paraíba”, declarou Francy.

Me ajuda', gritou à esposa homem negro morto por segurança e PM no Carrefour  - Brasil - iG
Por conda de uma discussão no caixa, João Alberto foi espancado até a morte dentro do Carrefour

A onda de protestos foi iniciada após a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, que estava fazendo compras num Carrefour de Porto Alegre, teve um breve desentendimento com uma funcionária do local e acabou sendo espancado até a morte por seguranças da loja.

Os manifestantes pessoenses chegaram a fechar uma das faixas da rua João Rodrigues Alves, que fica em frente ao supermercado. Depois, fizeram uma breve caminhada até a Praça da Paz, que fica ali perto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *