blogjucelioalmeida@gmail.com

Deitado eternamente em berço esplêndido

A frase acima, ou como queira o título, está estampada na letra do nosso Hino Nacional. Ela nos remete a uma situação de conforto, prazer. Do tipo estar tudo beleza em tão pra que pressa. Vamos dormir. Já o colunista Antônio Carlos de Oliveira enxerga na prática um comodismo do brasileiro diante de uma dura realidade socioeconômica e agora de saúde. E ele pergunta: “Você vê algum berço esplendido para nós? …Mas é fato que precisamos nos levantar e tomar nosso destino pelas mãos”.

Trazendo a situação à realidade política de Sousa, já dentro de um cenário de campanha eleitoral, atípico devido às circunstâncias, mas de campanha propriamente dita, pode se afirmar que o grupo de Oposição dorme em berço esplêndido quando se nega a definir seu candidato a prefeito de Sousa. Que se ratifique: ainda não se pôs um fim ao processo eleitoral deste ano. Tá em vigência.

Essa omissão se dá porque há motivos suficientes para tanto conforto? Todos se entendem quando o assunto é o candidato a Prefeito? Há unanimidade sobre um nome? Já existe um candidato imbatível? Até que se prove o contrário, não.

E ainda que tentem justificar esse sono letárgico atribuindo culpa a Covid 19, a verdade é que para muitos o Coronavírus pode até ser usado como uma justificativa, mas para quem tem do outro lado o prefeito da cidade (Fábio Tyrone) em plena reeleição, à sombra do Governo do Estado, essa paralisia pode até se justificar, mas não se explica.

Diante do que se constata: Leonardo Gadelha residindo fora, Zé Célio em silêncio, André Gadelha jogando a toalha, e nenhuma informação de entendimento em torno de um nome, a verdade é que a Oposição sem reação e dividida está dando sopa pro azar.

Ainda que se escute vozes do lado periférico da Oposição através de nomes que fogem à regra da política tradicional de Sousa, a exemplo do sindicalista Osnildo Silveira e do advogado Valdecir Filho, convenhamos nomes são apenas uma parte de um conteúdo que precisa ser escancarado na íntegra ao conhecimento do povo. Afinal, você é candidato? Quem é você? Quais seus propósitos? Se ganhar o que vai fazer? O povo requer respostas urgentes porque o tempo urge. Então, é preciso gritar pra cidade ouvir: “EU SOU CANDIDATO”. Porque tem muita gente na cidade de lanterna acesa durante o dia procurando um candidato a prefeito pela Oposição e não está encontrando.

Recentemente, o advogado Valdecir Filho declarou numa emissora de rádio: “Eu vou à luta. Nem que conte nas urnas com dois votos. O meu de minha esposa”. Pelo visto, este já começou a despertar do sono.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *