blogjucelioalmeida@gmail.com

Mais transmissível. Nova cepa do coronavírus com 18 mutações foi identificada em BH

Mais transmissível. Nova cepa do coronavírus com 18 mutações foi identificada em BH
A cepa encontrado em Belo Horizonte seria mais transmissível e potencialmente perigosa, diz cientistas

Uma nova e potencialmente perigosa variante do coronavírus foi detectada por cientistas no Brasil.  Ela foi identificada em Belo Horizonte e tem uma combinação inédita de 18 mutações no Sars-CoV-2. Entre essas mutações estão algumas compartilhadas com as variantes brasileiras P1 (originada em Manaus) e P2 (Rio de Janeiro), com a sul-africana B.1.1.351 e a britânica B.1.1.7., todas associadas a uma maior transmissão da pandemia.

O risco de agravamento da Covid-19 também é investigado. Conhecidas por siglas complicadas, as novas variantes de Sars-CoV-2 preocupam, dentre outros motivos, porque se replicam muito mais depressa do que os vírus que causaram a primeira onda da pandemia, em 2020. As variantes P1, P2 e B.1.1.7 têm as mutações E484K e N501Y. Elas não só facilitam o contágio quanto podem ajudar o coronavírus a escapar do sistema imunológico.

Tudo indica que a revelada agora em Minas Gerais tenha a mesma capacidade, pois dispõe de arsenal genético para tanto. Tem também outras novas mutações, que acenderam o sinal de alerta dos pesquisadores.

Cientistas já haviam alertado que numa transmissão sem controle como a do Brasil era provável que emergissem mais variantes do vírus, dando mais força à pandemia. É um ciclo vicioso. Quanto mais variantes, maior o risco de transmissão e também de que o vírus consiga escapar das vacinas.

One thought on “Mais transmissível. Nova cepa do coronavírus com 18 mutações foi identificada em BH

  1. Avatar
    Reply
    Ana
    8 de abril de 2021 at 00:47

    Muito triste!
    Hoje Maia um recorde de mortes.
    Quantos destinos dilacerados, modificados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *